segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Uma opinião de colunista me chamou a atenção semana passada. Inclusive porque foi motivo de discussão em um grupo de Whatsapp do qual faço parte. Alguém enviou a opinião do jornalista/colunista da folha ‘joão pereira coutinho’ (em letras minúsculas – assim como no site da folha – por que será? Perguntarei) com o título “Estilistas que desprezaram mulher de Trump têm a misoginia do presidente” fiquei curioso. Tentei reproduzir a matéria aqui, mas a Folha de São Paulo não deixa:

“Para compartilhar esse conteúdo, por favor utilize o link http://www1.folha.uol.com.br/colunas/joaopereiracoutinho/2017/01/1854363-estilistas-que-desprezaram-mulher-de-trump-tem-a-misoginia-do-presidente.shtml ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos da Folha estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização da Folhapress (pesquisa@folhapress.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que a Folha faz na qualidade de seu jornalismo. Se precisa copiar trecho de texto da Folha para uso privado, por favor logue-se como assinante ou cadastrado.”

(Acho curioso esse tipo de proteção de notícias da internet)

Bem, houve a polêmica sobre quem faria o vestido da cerimônia de posse a primeira dama, blá blá blá... muitos estilistas, segundo consta, se recusaram a fazer (Christian Siriano, Marc Jacobs, Tom Ford, Sophie Thallet, Phillip Lim, Derek Lam, Humberto Leon, Timo Weiland e Naeem Khan – segundo a Maria Claire no site http://revistamarieclaire.globo.com/Moda/noticia/2017/01/os-estilistas-que-toparam-e-os-que-se-recusaram-vestir-melania-trump.html - visitado hoje - 06/02/2017).

O colunista começa chamando os estilistas de criadores de trapos e destaca Tom Ford afirmando que o profissional teria sido grosseiro ao afirmar que não gostaria de ter seu nome associado à Sra Trump – sendo, portanto, mal educado. Melania Trump teria sido humilhada “como uma encarnação da peste” segundo o colunista. Enfim, a matéria está disponível online para quem quiser ler.
Definamos misoginia, segundo o Google: Misoginia é a repulsa, desprezo ou ódio contra as mulheres. Esta forma de aversão mórbida e patológica ao sexo feminino está diretamente relacionada com a violência que é praticada contra a mulher.

Não entendo. Estilistas vivem de vender roupas, mulheres são suas musas inspiradoras (geralmente e principalmente). Melania Trump não foi recusada por ser mulher (e cada um se casa com quem quer), como humilhar tanto assim a primeira dama do país mais poderoso do mundo casada com um dos homens mais ricos (e poderosos) do mundo? Pobre Melania, tão coitada que teve um vestido (muito bem) feito por R.L. Nem Tom Ford nem os outros que se recusaram são fabricantes de trapos, valem milhões de dólares e são formadores de opinião – assim como RL. As recusas não foram feitas a qualquer uma em qualquer tempo num ato de preconceito aleatório. Melania tem sua importância e sua imagem mundial associada a Trump (Assim como as tantas outras esposas de presidentes de todos os países). A cerimônia de posse era do Trump (bilionário presidente dos EUA!!!!!). Convenhamos que trapos não seriam, de nenhum dos estilistas – o mundo iria comentar a vestimenta – e comentou.

Apoio o Tom Ford – protesta quem quer e onde quer (e por ideias muito louváveis por sinal). Apoio Ralph Lauren: eu vendo, quem paga, leva (ninguém sabe das opiniões de RL – se elas foram levadas em consideração ou se foi apenas comércio).
Ganharam todos: quantas citações em quantos jornais do mundo? Até aqui! Parabéns Tom Ford e Ralph Lauren! Parabéns Melania Trump - divou!

Perdi eu: Tempo para justificar minhas opiniões no grupo do Whatsapp. L



Hobby # 189378764328 - Gesture Drawing

Nenhum comentário:

Postar um comentário